Quem não quer reduzir a carga tributária?

Não raramente o empresário acredita que está pagando mais do que deveria.

Desta angústia surge a pergunta: Será que estou no regime tributário adequado?

E quando bate a certeza de estar pagando mais do que devia?

Talvez você já tenha recebido conselhos (de um amigo, colega de profissão, familiar ou até mesmo de um Youtuber) sobre como reduzir a carga tributária.
Frases do tipo: “meu contador disse que o Simples É MELHOR” ou “meu contador disse que quem está no simples PAGA MAIS” ou ainda “toda empresa deveria ser Lucro Presumido, pois o custo É MENOR”
De tudo noticiam por aí, qual seria a melhor opção para você?

Sempre que nos deparamos com essa situação a primeira ação é analisar o objeto social e os códigos (Cnae e ISS) em que aquela atividade está ou deveria estar enquadrada. Além disso, é preciso verificar faturamento e provisão para os próximos meses em conjunto com valores de Folha de Pagamento e/ou Pró Labore.
Com essa primeira análise identificaremos quais possíveis enquadramentos para aquela atividade.

No caso de CLÍNICAS MÉDICAS e ÁREA DA SAÚDE é comum o questionamento sobre redução da base de cálculo do  IRPJ e CSLL, no entanto cada situação deve ser analisada com cautela para não cair em situação conflitante que possa ensejar questionamentos e cobranças por parte do fisco.

Resumidamente há 03 opções de regime tributário:

  1. LUCRO REAL: a apuração é realizada com base no lucro líquido auferido no período. Para as empresas cuja receita total no ano-calendário anterior seja superior ao limite de 78 milhões de reais(ou proporcional ao número de meses do período, quando inferior a 12 meses), o LR é obrigatório
  2. LUCRO PRESUMIDO: os impostos são apurados e, de maneira genérica, representam o percentual de 13,33% + adicional do Imposto de Renda.
  3. SIMPLES NACIONAL: imposto recolhido em única guia. O percentual poderá variar entre 6% a 30,5%. Atenção! Muitas vezes essa pode não ser a melhor opção, tendo em vista que alguns fatores devem obrigatoriamente ser levados em consideração (exemplo: os sócios não fazem parte de outra sociedade?;  o faturamento anual não excede R$3.600.000? as despesas com folha de pagamento correspondem a pelo menos 28% do faturamento?  serviço passível de retenções?)

Conclusão: somente um serviço contábil sério e de qualidade é capaz de auxiliar o empresário a analisar e fazer a opção do melhor regime tributário.

Podemos te ajudar!
Entre em contato, elaboraremos uma análise tributária para você.
constec@constec.com.br

 A CONSTEC CONTABILIDADE tem experiência de 25 anos na prestação de serviços contábeis aos profissionais da área da saúde